Alix

Alix, ou como ficou mais conhecida, Madame Grès foi uma estilista nascida em Germaine Krebs em Paris em 30 de novembro de 1903. Seu sonho era o de ser escultora, mas sua família protestou muito contra o mesmo e então ela passou a se interessar por moda e a confecção de roupas.

Seu primeiro trabalho na área foi como designer de chapéus femininos, trabalho no qual ele logo conseguiu excelência despertando seu interesse em roupas. Portanto, em seguida ela conseguiu trabalho na Maison Premet, a qual era conhecida por exigir perfeição de suas roupas.

Em 1932 ela abriu sua primeira maison a “La Maison Alix”. Em 1933 ela adicionou o sobrenome Barton, por causa de Juliette Barton que trabalhava com ela, no nome da maison, transformando-a em “La Maison Alix Barton”. Pouco tempo depois, em 1934, ela retirou o nome Barton e voltou a ser somente a “Maison Alix” até 1942, quando ela mudaria o nome da marca novamente. Mas antes disso ela ganhou fama por fazer roupas esculturais direto nos corpos de modelos e bustos, conseguindo transformar metros de tecidos em uma única peça. Outro grande feito durante a época em que sua maison chamava-se apenas “Alix” foi o figurino da peça “Não haverá Guerra de Tróia” de jean Giraudoux em 1935. No final da década de 30 ela já era uma estilista consagrada e tinha como clientes pessoas como A Duquesa de Windsor, Paloma Picasso, Grace Kelly, Marlene Dietrich, e Greta Garbo.

Em 1942 ela decidiu mudar o nome da maison para “Grès”, um anagrama do primeiro nome de seu então marido, o pintor russo Serge Czerefkov. Durante a segunda guerra mundial as tropas alemãs exigiram que ela parasse de produzir suas roupas da maneira que ela fazia e passasse a produzir roupas utilitárias e mais lisas. Ela negou-se e fez uma coleção com as cores da bandeira francesa. Em resposta os alemães mandaram ela fechar as portas dizendo que o motivo era o excesso de tecidos que ela usava. Ela teve que fechar as portas e sair de Paris até a cidade deixar de ficar ocupada. Ao voltar a trabalhar ela passou a assinar suas obras como “Madame Grès”.

Durante a década de 40 ela continuou a aperfeiçoar seu estilo de drapeados e seus vestidos no estilo deusas gregas, que podiam levar até 300 horas para serem feitos, já que ela drapeava tudo a mão direto nos corpos das modelos. Na década de 50 ela continuou com sua atenção meticulosa as roupas, mas mudou um pouco seu foco no estilo. Passou a produzir roupas mais lisas e simples e também sarapes, kimonos e saris além de começar a produzir ternos femininos, dentro do seu eterno estilo.

Em 1959 ela lançou seu perfume, Cabochard, que traduzido significa teimoso. Na década de 70 ela deu um tempo no seu estilo clássico de drapeados minuciosos e passou a mostrar um pouco mais de pele em suas roupas. Ela trabalhou até a dedada de 80, sendo que seu último vestido foi uma encomenda de Givenchy em 89. Infelizmente assim que ela se aposentou a maison começou a sofrer problemas financeiros e foi vendida duas vezes para manter suas portas abertas. Em 2012 a última loja da maison foi fechada em Paris.

Madame Grès ficou famosa por seus vestidos considerados clássicas. Adorava usar jérsei, seda e lã que ela moldava drapeando os vestidos direto nos corpos, formando muitas peças únicas, que não eram produtos de coleções. Ela usava formas assimétricas, cortes enviesados e mangas morcego com frequência. Até hoje ninguém conseguiu se igualar a ela na questão de drapear roupas.

 

Algumas de suas criações:

gres-1cynthiaroseonetimeuseonly-1

 

19iht-fgres19-inline1-popup

 

1937

028-madame-gres-theredlist

 

Detalhe primavera/verão 1942

068-madame-gres-theredlist

 

1945

037-madame-gres-theredlist

 

Primavera/verão 1946

012-madame-gres-theredlist

 

1948/1949

021-madame-gres-theredlist

 

1951

073-madame-gres-theredlist

 

1952

081-madame-gres-theredlist

 

Outono/Inverno 1972

023-madame-gres-theredlist

022-madame-gres-theredlist

 

Seu perfume

madame-gres-perfume-feminino-eau-de-parfum-100ml-21481

 

Um video com suas obras:

https://www.youtube.com/watch?v=DIhTUe8QvB0

 

Bibliografia: allan, Georgina O’Hara; Enciclopédia da Moda: De 1840 À Década de 90: Companhia das Letras, 2010.

https://en.wikipedia.org/wiki/Grès

http://blog.jewelryaccessories.com/fashion-designers/312-alix-gres-madame-gres.html

https://en.wikipedia.org/wiki/Madame_Grès

http://www.thefashionhistorian.com/2011/08/madame-gres.html

http://www.fashionencyclopedia.com/Fr-Gu/Gr-s-Madame.html

http://theredlist.com/wiki-2-23-1249-1255-view-1940s-profile-madame-gres-3.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s