Arquivo da tag: chápeu

Balaclava

A Balaclava é um tipo de gorro criado para a proteção do frio.

grace kelly wearing a balaclava from Dior
Grace Kelly usando uma balaclava da Dior, por baixo de um chapéu.

Durante a Guerra da Criméia em 1854, houve a Batalha de Balaclava, uma cidade da Criméia. Nessa batalha aconteceu o evento histórico da Carga da Brigada Ligeira, quando uma brigada britânica inteira recebeu o comando de atacar o exército Russo, que estava em maior número.

Durante essa época as mulheres tinham o costume de tricotar balaclavas na cor cáqui, a cor da camuflagem, para os soldados, e foi depois dessa batalha, que a balaclava ganhou o nome que tem até hoje.

Costumam ser feitas de tricô ou crochê e hoje são muito usadas por alpinistas, esquiadores e pilotos de corrida; assim como policiais que precisam esconder sua identidade e manifestantes que desejam o mesmo, muito comum entre o grupo Black Bloc.

A Balaclava já esteve presente nas passarelas na década de 1960, meados de 1980 e voltou em 2018.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bibliografia: Allan, Georgina O’Hara; Enciclopédia da Moda: De 1840 À Década de 90: Companhia das Letras, 2010.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Balaclava

https://en.wikipedia.org/wiki/Balaclava_(clothing)

Anúncios

Aigrette

Ou Egrete é uma pluma normalmente vinda da águia-pescadora ou da garça-real usada inicialmente para adornar os turbantes de sultões otomanos junto a pedrarias. A partir do século XIX e começo do século XX, as egretes passaram a adornar os chapéus e penteados femininos. A moda das egretes ficou presente até a década de 40, após isso passaram a ser usadas apenas em roupas de alta costura, acessórios e sapatos.

9d1369c7d9e0cbd9e9c91457da03892c

Bibliografia: allan, Georgina O’Hara; Enciclopédia da Moda: De 1840 À Década de 90: Companhia das Letras, 2010.

https://en.wikipedia.org/wiki/Aigrette

http://www.leopardi.com.br/dicionario-da-moda/egrete

Adolfo

É um chapeleiro e estilista nascido em 1933 em Havana, Cuba, como Adolfo Sardiña.

Em 1948, com a ajuda de sua tia Maria Lopez, mudou-se para Nova York, onde começou a trabalhar como aprendiz na Bergdorf Goodman.

Em 1951 mudou-se para Paris e foi trabalhar com Balenciaga.

Em seguida voltou para Nova York e para Bergdorf Goodman, agora como chapeleiro e assinando suas obras como “Adolfo of Emme”.

Na década de 50 ficou famoso por seus modelos de chapéus que dispensavam armações, arames ou enchimentos e utilizavam somente costura.

Ganhou um prêmio “Coty” em 1955 como jovem estilista.

Em 1962 criou sua marca própria.

Em 1963 criou duas marcas alternativas, a “Adolfo Réalités” e a “Adolfo II”, em ambas ele apenas trabalhava no design, com a fabricação terceirizada pela “Award Hat Company”. Ambas as marcas eram uma alternativa mais barata de seus produtos, especialmente a “Adolfo II”.

Pouco tempo depois de abrir suas marcas, Adolfo começou a fabricar roupas que combinavam com seus chapéus. Entre sua criações estão inclusos bonés de jérsei com viseira, chapéus com óculos protetores removíveis e enormes boinas de pele.

Na década de 60 lançou o chapéu Panama Planter feito de palha e adornado com uma fita ou tira de jérsei listrada; chapéus cossacos peludos feitos de veludo de lã ou pele e variações de Chapéu-Coco e Pillbox.

Suas roupas tinham vestígio de figurino, como por exemplo: Um capote comprido de oficial, com dragonas e botões dourado; saias xadrez franzidas; jumpers de organdi; blusas Gibson Girl e saias de Patchwork.

Na década de 70 ele abandonou os elementos teatrais e começou a fabricar roupas mais clássicas, baseando suas coleções em clássicos tailleurs de malha e vestidos de alfaiataria.

Uma de suas peças mais famosas é um cardigan “lady-like” inspirado na Chanel, para quem ele também trabalhou brevemente no começo de sua carreira.

Algumas de suas clientes foram: A Duquesa de Windsor, Gloria Vanderbilt, Betsy Bloomingdale, Jackie Kennedy Onassis e Nancy Reagan.

Em 1993 Adolfo encerrou sua carreira de designer para concentrar seu trabalho em administrar suas marcas.

sem-titulo-1
1965.
sem-titulo-2
1964.
sem-titulo-3
1965.
sem-titulo-4
Sophia Loren usando um chapéu Adolfo for Emme, em 1961.

Bibliografia: Callan, Georgina O’Hara; Enciclopédia da Moda: De 1840 À Década de 90: Companhia das Letras, 2010.

http://www.fashionencyclopedia.com/A-Az/Adolfo.html

http://coutureallure.blogspot.com.br/2013/02/adolfo-hats-for-emme.html

http://coutureallure.blogspot.com.br/2013/02/adolfo-hats-1963-66.html

http://vintagefashionguild.org/label-resource/adolfo/